Segunda-feira, 14 de Outubro de 2019
Banner

Atualidade

21 Outubro, 2014

BEI Reabilitação Urbana

Reabilitação Urbana

Governo ultima acordo com
Banco Europeu de Investimento
para dar 50 milhões à Reabilitação Urbana

 

O Governo está a ultimar com o Banco Europeu de Investimento (BEI) os termos de um mecanismo financeiro destinado a apoiar a reabilitação urbana em Portugal. “Em causa está um pacote de 50 milhões de euros para ajudar os promotores que queiram investir na reabilitação urbana”, revela o secretário de Estado do Ordenamento do Território e da Conservação da Natureza, Miguel de Castro Neto, em entrevista ao idealista News Portugal. As verbas vão estar disponíveis “muito brevemente”, de acordo com o governante. O grande objetivo deste mecanismo é fomentar a reabilitação urbana, de forma a diversificar a sua intervenção. “Constatamos que hoje a reabilitação está, sobretudo orientada para o mercado de luxo e queremos para alagar a todos os segmentos de forma a recuperar população ativa e camadas mais jovens para os centros das cidades”, explica Miguel Castro Neto.

 

Fundos comunitários de até 1.500 milhões para reabilitação

 

Além do mecanismo do BEI, o setor imobiliário em Portugal vai poder contar com fundos comunitários para aplicar na reabilitação urbana. “No próximo quadro comunitário de apoio vão existir verbas para apoiar a reabilitação urbana, que estarão disponíveis entre final deste ano e início do próximo”, confirma o secretário de Estado adiantando que “existe uma verba base entre 500 e 600 milhões de euros que vamos alavancar com fundos da banca comercial nacional e outras fontes de financiamento internacionais para chegar pelo menos aos mil milhões de euros, e no melhor dos casos aos 1.500 milhões”. Estes fundos visam diminuir as assimetrias entre Portugal e a Europa. “Temos uma média próxima dos 6% de intervenções deste tipo, contra cerca de 40% no espaço comunitário”, frisa o governante ao idealista News Portugal.

 

200 Milhões para eficiência energética

 

Já o ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, Jorge Moreira da Silva, à margem do Salão Imobiliário de Portugal, adiantou que “pela primeira vez, ao nível do financiamento, os novos fundos europeus prevêm que operações de eficiência energética na habitação privada possam ser alvo de financiamento”. Só para esse tipo de tipologia existem 200 milhões de euros com os novos fundos europeus, de acordo com Moreira da Silva.

 

Fonte: idealista News Portugal

 

Caso queira estudar investimento deste ou de outro tipo, marque reunião connosco por info@diretiva.pt.